quarta-feira, 6 de abril de 2011

Ah, a natureza...

Consequência de uma pausa...

Mais um dos meus "posts rápidos", então, desconsiderem qualquer coisa...

É assim, no dia-a-dia que crescemos, amadurecemos e aprendemos. Posso até dizer que dá para aprender de tudo, bom ou ruim, por vontade própria, influência ou imposição, nós aprendemos inúmeras coisas, úteis ou não. Hoje, entrei para fazer uma pesquisa e, como sempre, abri na página da UOL para ler as últimas notícias, eis que me deparo com um álbum de fotos de teias de aranhas cobrindo as árvores do Paquistão. Exótico, inusitado, inacreditável, fim dos tempos, desequilíbrio, enfim, muitas palavras vem à nossa mente ao lermos e vermos imagens e reportagens como essa, mas, a que mais pesa é adaptação.

Diariamente somos submetidos a situações adversas, não costumeiras, e somos "obrigados" a nos acostumar a elas, ou seja, a nos adaptarmos. Através dessas fotos percebemos o quanto fazemos parte da natureza. A enchente dominou a cidade, deixando-a com poucos, ou nenhum, espaço seco para que as aranhas pudessem armar suas teias, se alimentarem e reproduzirem. Obviamente não foram só elas que perderam seu habitat, as pessoas - e outros animais terrestres - também, e, ao mesmo modo, se viram numa situação "inusitada" em que deveriam buscar outras condições de vida e garantir, assim, sua sobrevivência e a não extinção da espécie.

A adaptação é alvo de muitos estudos e controversias, de seguidores de Lamarck a seguidores de Darwin, principalmente. Para Lamarck a pressão ambiental leva a modificações adaptativas ("Lei do Uso e Desuso") que, por sua vez, seriam características hereditárias ("Lei da Transmissão das características adquiridas"), e, no fim, teríamos a evolução da espécie. Segundo Darwin, as espécies possuem variabilidade biológica, que sofrem efeitos da pressão ambiental e, então, ocorre a seleção natural, garantindo a sobrevivência dos indivíduos mais aptos, que irão reproduzirem-se (perpetuarem-se) e, assim, acontece a evolução da espécie. Essa foi uma breve e super superficial comparação entre as duas linhas de pensamento, o que, de certa forma, nem vem ao caso, mas, eu quis aproveitar enquanto escrevia para estudar um pouco mais de biologia, ou seja, acabei de maximizar meu tempo de estudo, bom, enfim...voltando ao assunto principal...

Ao ver essas imagens (clique aqui caso ainda não tenha clicado acima) e a notícia pensei no quanto o ser humano devia aprender com esse fato. Confesso que eu, a cada dia, tento aprender mais e mais, não só no que diz respeito as matérias escolares, mas também para a vida, como diz uma professora minha: "devemos deixar de ser ignorantes, parar de estudar só para passar no vestibular e começar a estudar para a vida" - sim, ela leciona fisiologia humana e comparada, o básico, ou nem tão básico assim, que todos deveriam conhecer para levar uma vida saudável e salvar outras vidas. Pois bem, essas aranhas nos deram uma verdadeira lição de vida, nos mostraram o quanto somos capazes de nos adaptar, de enfrentar a realidade diante dos piores acontecimentos, não esmorecer perante as dificuldades, e, assim, sobrevivermos. Afinal, muitos dizem que não vivem, e, sim, sobrevivem, não é mesmo?! Portanto, as aranhas também fizeram dessa maneira.

Outro ponto interessante é a maneira como a natureza se re-organiza e, com ela, todo o restante do ecossistema, assim como a população dos mosquitos, que diminuiu. Entre os humanos também é assim, conforme alguém se transforma, muda tudo a sua volta, o seu jeito de ver e enfrentar o mundo e toda a realidade que o cerca, as relações interpessoais também sofrem modificação e, então, uma vida nova começa. E, vale ressaltar, que essa vida nova só foi capaz de se formar porque, antes, transformações ocorreram, e, como o próprio Lamarck já disse um dia: "Em tudo o que a natureza opera, ela nada o faz bruscamente." Desse modo, se olharmos atentamente a tudo o que nos acontece veremos que alguns sinais de mudanças aparecem no decorrer da caminhada...

Concluindo, hoje percebi, mais uma vez, que assim como as aranhas e outros animais, também somos capazes de nos re-fazer, re-construir, re-inventar, re-erguer, como dizem: "levantar, sacudir a poeira e seguir em frente". Independente do que possa ocorrer para nos colocar para baixo, nos diminuir, nos machucar, nos tornar inferiores, somos privilegiados com a racionalidade, com a segunda oportunidade, sendo assim, devemos aproveitá-la e continuar a viver, não como antes, porque "naquela época" o olhar para o mundo e para a vida era outro, era tudo diferente do "agora". Realmente, tudo isso tem muito a ver com a minha vida, comigo, com o modo com eu vejo - ou via - as coisas a minha volta, enfim...não vou prolongar-me mais, rs. Mas, saibam, a vida é imprevisível.

Se me permitem, usarei de citações para ilustrar tudo o que quero dizer:

"Existe em nós a capacidade de realizar e dar vida nova a tudo que nos cerca. Basta querer."

"O problema da vida não é andar, tropeçar, cair...é voltar sempre para o mesmo lugar."

"Quando tudo parece dar errado, acontecem coisas boas que não teriam acontecido se tudo tivesse dado certo". (Renato Russo).

Enfim, em toda nossa vida, nos deparamos com dificuldades impostas por ela, que devem ser superadas. Também devemos passar por esses desafios, faz parte - e que parte! - e, para isso, precisamos tentar, pois se não tentarmos, a vida passará diante de nós, apenas passará...


P.S.: Lado humanitário do post:

Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos. Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.” (Martin Luther King).

4 comentários:

  1. Lele, boa noite... pausadamente irei falar. Pausadamente quero dizer dessa forma assim, antiposta ao que tem sido minha vida: nonstop.

    De forma simples, te digo: obrigada. Uma beleza ver que sou blog tem 28 sortudos que te lêem. Uma beleza mesmo.

    Eu entro aqui sempre e nunca consigo ler direito. Hoje parei a vida pra te ler. E qual nao foi a surpresa? Você escreveu pra mim. Sim, pra mim. Vi as fotos, li o post e absorvi. Parabéns pelo tocar no coração. Parabéns por escrever para despertar. Isso pouco acontece.

    Cuide-se, um beijo e estude.

    E. Rigby

    ResponderExcluir
  2. Ah, disseste grandes verdades... Para refletir e re-refletir! Adorei!

    ResponderExcluir
  3. Oii Rigby! Boa Noite! :)
    Nem me fale, minha vida também tem sido meio - ou completamente - "nonstop"!
    Aaaah, obrigada pelo carinho, consideração, presença, leitura, e, não posso me esquecer, por você compartilhar conosco seus poemas, que, eu, admiro muito!
    É, eu entendo, escrevo demais, como a diz a Teca, sou uma menina muito conversadeira! ^^
    Obrigada mais uma vez, e, espero, realmente, que sempre você se sinta melhor, se sinta bem ao "ler-me", ao visitar meu blog, sinta-se a vontade. Apenas tento fazer o meu melhor, tento compartilhar um pouco dos meus pensamentos, sentimentos e etc...
    Beijos! :*

    Olá Camila! :)
    Pois é, às vezes a verdade é o melhor que tem-se a dizer...e, sempre serve para refletirmos, constantemente refletirmos...
    Beijinhos!

    Letícia Cunha.
    *-*

    ResponderExcluir

Então, o quê você me diz?