sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Sim, Senhor (ou seria você?)

É, está mais do que comprovado que educação vem de berço, é aprimorada na experiência de vida e o dinheiro não interfere tanto quanto muitos imaginam.

Hoje aconteceu algo que eu fiquei chocada, tá, para muitos é normal, já estão acostumados com falta de educação, com a heterogeneidade que envolve o ser humano e etc. Mas vejam bem, no meio de uma aula uma aluna foi tirar uma dúvida com o professor e ao se direcionar a ele disse: "Professor, o SENHOR poderia......" e nessa hora percebi que todos a minha volta e mais um monte de gente da sala comentava o fato de ela ter usado o termo Senhor e, pior, davam risada desse vocativo. O que eu acho? Simplesmente um absurdo!

By Google


O professor é novo (deve estar perto dos 30 anos) e não é casado, no entanto, o termo Senhor é questão de educação, de saber como se comportar e se direcionar às pessoas. Ao rir da menina estavam confirmando minha tese do quanto a educação e o modo de criar os filhos se modifica e varia de um pai para outro, de uma relação familiar para a outra. Quanto a isso tem pessoas dizendo que as "coisas evoluem" e o modo de criar os filhos também, não gosto muito de falar o termo evolução para essa questão, mas pode até ser, visto que evolução não corresponde a processos exclusivamente bons, que trarão ótimos resultados, também relaciona-se a processos que não trarão bons resultados, o que porteriormente o meio selecionará (Dá-lhe Darwin!).

Não sei se é porque eu vim de uma família muito tradicional, na qual desde pequena (e até hoje) era obrigatório pedir a benção para todos da família e comprimentar todos de um por um. Se a pessoa a que você fosse se dirigir fosse mais velha também deveria chamar de Senhor ou Senhora, do mesmo modo quando se direcionava aos meus pais e parentes. Quando o pai chama devia responder: "Senhor" e não "que foi". Assim eu, meus irmãos e muita gente foi criada. Acredito que rir de alguém pelo modo como ela se direciona à outra pessoa, sendo que esse modo, em momento algum, é perjorativo ou algo do tipo, é completamente ridículo, inescrupuloso e de gente sem educação com a visão turva.

Hoje me senti muito mal em relação a esses colegas. Percebi que as pessoas deixaram de se importar uma com as outras, que não respeitam nem o emissor nem o receptor da fala, que só porque uma pessoa é nova não pode ser bem tratada, que tudo vira motivo de risada e zombação. Não acho certo esse tipo de comportamento, é o que acaba com a sociedade, com as relações interpessoais. Quanto custa dizer palavras bonitas, dizer obrigado, boa tarde, boa noite, e chamar alguém de senhor, demonstrando respeito?!! Chegamos ao ponto em que as pessoas dão risada de alguém que se comporta com educação e respeito, mas, muito pelo contrário, acham bonito coisas apelativas, fofocas, chamar o outro de "véi" e etc. Sério, fiquei muito, muito mesmo, indignada e incrédula com o acontecido do dia, até mesmo porque eu também me direciono aos professores e às pessoas mais velhas com o vocativo "senhor ou senhora" e acho absolutamente certo e normal.

E para completar, só para constar o quanto é inadmissível, no meu local de estudo não tem gente de classe baixa (com raras exceções de alguns bolsistas, rs), a maioria são de classe média-alta (alguns bastante alta, diga-se de passagem), ou seja, tem de tudo para serem educados, possuem acesso mais fácil a cultura e educação, completamente o oposto de grande parte da população. É lamentável que não saibam aproveitar as chances que tem de crescer e evoluir, como pessoas (seres humanos) e como profissionais que serão no futuro. Não gostaria de chegar num consultório médico e vê-lo desrespeitando outras pessoas (funcionários por exemplo) e muito menos me chamando por gírias. Mais uma vez dinheiro não quer dizer nada, uma vez que educação e respeito são adquiridos no ceio familiar e na convivência do dia-a-dia, só espero que, como adultos que já são, a vida lhes ensine como tratar bem as pessoas.

By Google

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Letícia, As informações nos chegam, hoje, rapidamente e o que antes demorava uma década para mudar, nos dias atuais ocorre da noite para o dia.
    A criação mudou, e poucos conservam a educação antiga e com respeito.
    Eu mesma tenho 23 anos e estagiei em uma escola de Jovens e adultos, o meu aluno mai snovo tinha 27.
    auhssauhsauh
    E todos me chamavam de 'Senhora" kkkkkkkkkkk
    Não vou dizer q eu gostava mas não achava ruim não!
    Era a forma de respeito deles cmg.

    Abraços e Ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  3. Depois de ver tantos alunos espancando professores, pais agredindo professores, isso não me espanta mais. Não me conformo, claro, mas não me assusto. Não sei aonde vamos chegar com esta falta de limites e respeito em geral. Abraços, Letícia. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  4. É Laura, com certeza, a Revolução Industrial, a Globalização e etc transformaram nossas vidas.
    Aah, mas acontece que alguns professores nos dão permissão para chamá-los de você ou algum vocativo mais intimista, mas outros não falam nada e a profissão também exige respeito, ai vai do professor. Mas, Senhor é sempre uma forma de manter a educação, assim como no seu caso! Imagino até o quanto devia ser engraçado, um aluno de 40 anos chamando-a de Senhora, posso rir, né?! kkkkkkkkk
    Abraço! ;*

    Pois é Cacá, essa é a nossa realidade! O mais absurdo que eu acho nem é o fato de a maioria não se direcionar aos professore e etc por Senhor ou Senhora, mas sim os outros darem risadas com quem assim o faz! rs
    Abraços! :)

    ResponderExcluir
  5. Letícia, é pra rir sim! huashusahusasahu

    Olha, Indiquei teu blog ao Prêmio Blog de Ouro de 2011.
    Segue o Link => http://migre.me/3X65y

    Abraços e Ótimo Sábado!

    ResponderExcluir

Então, o quê você me diz?